Escolha uma Página

Aplicada ao contexto do marketing, storytelling é a ação promocional com intuito de promover engajamento por meio de histórias memoráveis relacionadas a uma empresa/marca/ideia, buscando conectar-se emocionalmente com o público-alvo. Este texto apresenta algumas lições a serem aprendidas com a sensacional campanha da Chipotle.

As pessoas estão diariamente na internet contando a história de suas vidas, fazendo uma seleção minuciosa dos eventos que consideram valer a pena ser compartilhados e se envolvendo na conversação após a publicação dos mesmos. Assim, é possível afirmar que nas redes sociais somos todos, de uma forma ou de outra, storytellers dos nossos próprios personagens nos cenários de nossas vidas.

É nesse oceano de boas narrativas nas redes sociais da internet que as empresas precisam se destacar e contar suas próprias histórias, provocando emoções positivas e engajamento, incitando assim o compartilhamento e propagação de suas mensagens.

A Elogiável Campanha da Chipotle

A Chipotle Mexican Grill é uma rede de restaurantes de comida mexicana que carrega como missão a ideia de “Food with Integrity” (Comida com Integridade), destacando uma preocupação em servir alimentos orgânicos e não provenientes de fazendas industriais onde animais, supostamente, recebem maus tratos e anabolizantes. A empresa conseguiu um alcance mundial ao contar uma história de maneira sensacional com o vídeo Back To Start e depois com o vídeo abaixo chamado The Scarecrow, que já tinha quase 12 milhões de views quando escrevi este artigo.

Como vocês podem ver, o vídeo é maravilhoso e integra-se ainda com um advergame para proporcionar ainda mais engajamento com a marca e com a narrativa!

Porém, como você deve estar imaginando, trata-se de uma superprodução e, a não ser que sua empresa esteja nadando em dinheiro com o seu orçamento para criação de campanhas promocionais, nada perto de uma animação como esta poderá ser feito.

Contudo, é possível aprender algumas lições com a campanha de storytelling da Chipotle, que podem ser aplicadas em contextos de baixo custo e proporcionar resultados surpreendentes.

Lição #1 – Uma boa campanha de storytelling nasce de um propósito

Apesar do título um pouco piegas dessa lição, é absolutamente verdade. A campanha da Chipotle não nasceu inteiramente de uma reunião de briefing, brainstorming ou coisa que o valha. A campanha está fundamentada no propósito da empresa. E, como este é um propósito inspirador, o mesmo toca o coração de quem entende os fatos que o motivam.

Lição #2 – A pessoa deve sentir-se parte ao compartilhar

Como a história da Chipotle tem um propósito claramente definido, as pessoas entendem que o próprio fato de compartilhar esse vídeo já ajuda a disseminar a ideia que fundamenta o conteúdo. É o mesmo principio que explica o fato de que algumas correntes rapidamente viralizam pelas redes sociais, pois cada compartilhada (retweet, +1, etc.) ajuda a envolver mais pessoas e distribuir a mensagem, com intuito de que o propósito seja alcançado, ou pelo menos esteja mais perto disso.

Lição #3 – A história deve continuar em outros meios

A própria Chipotle aprendeu com a sua primeira campanha Back to the Start (vale a pena ver pela trilha maravilhosa de Willie Nelson interpretando The Scientist), que não dava muito espaço para que as pessoas continuassem engajadas com a mesma após assistirem ao vídeo. Como foi dito, com o The Scarecrow a empresa também lançou um advergame, onde as pessoas podem assumir o papel do personagem principal e se envolverem ainda mais com a narrativa proposta na campanha de storytelling. Ao utilizar vários meios para contar uma história se consegue expandir o alcance, a influência e o engajamento possível com a mesma. Por isso, o termo storytelling seja muito citado junto com o termo transmedia (ou transmídia), inspirado por essa vocação das histórias em serem contadas por diversos meios, com cada um acrescentando à narrativa principal.

Mas, e com o orçamento pequeno?

Storytelling com baixo orçamento?

Como eu disse anteriormente, a produção da Chipotle custou uma fábula, tendo envolvido o premiado Moonbot Studios e a cantora Fiona Apple. Porém, é possível conseguir resultados interessantes aplicando estas lições dentro de uma perspectiva de Inbound Marketing e a estratégia de conteúdo da empresa (leia neste post sobre 3 categorias de conteúdo indispensáveis nas redes sociais).

Possibilidades de baixo orçamento:

  • Utilizando imagens no Facebook é possível contar uma história que possa envolver os seguidores da fanpage, conectando essa sequência de imagens com uma ação dentro do website da empresa.
  • Microcontos podem ser utilizados no Twitter, todos conectados ao propósito da empresa e que, posteriormente, podem ser baixados em formato de e-book com uma arte exclusiva, pelo website da empresa.
  • A empresa pode contar o case de um cliente por meio de um infográfico, mostrando como transformou o negócio do mesmo, e, ao mesmo tempo, compartilhar um vídeo comentado do infográfico no YouTube.

Portanto, é possível utilizar o storytelling dentro da estratégia de conteúdo da empresa e conseguir proporcionar mais engajamento com a mensagem, mesmo com orçamentos modestos. Para isso, é preciso que (1) as pessoas da empresa tentem olhar para dentro e entender realmente qual o propósito que permeia a atividade da empresa, e (2) afastar-se da zona de conforto da publicação de conteúdos tradicionais e abraçar com vontade a ideia de fazer algo novo.

E você, encontrou alguma outra lição a ser aprendida com a campanha da Chipotle que utilizou storytelling? Lembra de alguma campanha que também utilizou bem o conceito de storytelling? Compartilhe comigo!

Nota: como ocorre com toda boa história e campanhas de storytelling, a Chipotle também sentiu os efeitos de repercussões negativas de suas campanhas, como mostra esta paródia bem produzida do vídeo The Scarecrow.