Escolha uma Página

Conheça um pouco da história de Nick Woodman, um empreendedor que fracassou com um aporte de 4 milhões de dólares e criou uma empresa de câmeras super versáteis, que vale hoje 2,5 bilhões de dólares, com uma ideia que teve surfando e que contou com o dinheiro emprestado de sua mãe.

A GoPro é sem dúvidas uma das empresas que mais considero inspiradoras na sua estratégia promocional de marketing digital. O conteúdo massivo gerado pelos clientes da GoPro garante uma divulgação espontânea sem precedentes, alcançando milhões de pessoas com vídeos de tirar o fôlego.

Pra quem não conhece, GoPro é uma fabricante de câmeras versáteis que tem como objetivo ajudar as pessoas a capturar e compartilhar suas experiências de vida mais significativas. Em seu melhor uso, as câmeras da GoPro são utilizadas por praticantes de esportes de aventura, mas o seu mercado vem expandindo continuamente para outros nichos. O vídeo abaixo é um dos meus favoritos, utilizando a câmera HD Hero, e já tinha 5,6 milhões de visualizações quando escrevi este post.

Fracassando like a pro

Bom, mas não é só isso que é inspirador na GoPro, mas também a história sobre como Nick Woodman, CEO da empresa, transformou seu protótipo em uma empresa com valor de mercado de 2,5 bilhões de dólares.

Se voltássemos no tempo e estivéssemos no início dos anos 2000, encontraríamos Nick Woodman como um empreendedor fracassado. Tendo recebido 4 milhões de dólares (Uau!) em um aporte de capital, Woodman percorreu o caminho do insucesso com seu negócio funBugs.com, uma plataforma de jogos e marketing, onde os usuários concorreriam a prêmios, que absolutamente não teve adesão.

O próprio Woodman afirmou que esse foi um duro golpe, pois ele tinha convencido os investidores a apostarem em um negócio que ele acreditava e no fim das contas ele não pôde prover nenhum retorno para os mesmos.

GoPro em uma viagem de surf

Desacreditado Woodman resolveu oxigenar as ideias e partiu para uma viagem de surf na Indonésia e na Austrália. Foi nessa viagem que Nick Woodman recebeu uma das maiores dádivas que podem ser concedidas a alguém com o mindset empreendedor: um problema. Melhor: um problema que nenhum produto conseguia resolver a contento. Nick queria fazer fotos de si mesmo (selfies) surfando, mas as formas pelas quais ele podia fazer isso não lhe agradavam, pois, ou envolviam uma outra pessoa encarregada tirar as fotos, ou envolviam um conjunto de instrumentos inadequados para tal. Estava aí a fagulha para criação das câmeras da GoPro.

GoPro-Surf

Woodman voltou aos EUA com a ideia na cabeça e com vários acessórios para surfistas da Indonésia para revender. A venda desses acessórios ajudou a financiar parte da ideia do protótipo, mas não foi suficiente. Neste ponto, Nick resolveu pedir ajuda para alguém que não poderia decepcionar, sua mãe. A mãe de Woodman emprestou os 35 mil dólares que Nick precisava para desenvolver o seu protótipo.

Nesse ponto, vale destacar que por vezes vemos novos empreendedores obcecados por receberem aportes em rodadas de investimentos, editais, etc., e acabam perdendo a percepção de que no fim das contas é um negócio que almeja ser uma empresa lucrativa, assim como a padaria da esquina um dia foi antes de sua abertura. Isso quer dizer, existem muitos caminhos que podem ser traçados para se empreender, inclusive vendendo cintos, colares e pegando dinheiro da mãe emprestado.

Nos anos seguintes Woodman trabalhou incessantemente em seu protótipo, até que em 2004 lançou sua câmera fotográfica no mercado. O produto obteve grande aceitação, pois os surfistas, em sua grande parte, perceberam de imediato que a câmera os permitia compartilhar com as pessoas sua grande paixão. Em 2007 a GoPro lançou a filmadora que traz o espectador para a ação e de lá pra cá o produto se tornou a fabricante de câmeras que cresce de maneira mais agressiva no mercado.

Nick-Woodman

Nick Woodman, fundador da GoPro

Be a Hero

Esta história nos deixa várias lições de acreditar na intuição e aprender com as dificuldades, em termos de empreendedorismo, e pensando em marketing, mostra como um bom produto aliado a uma estratégia promocional correta pode levar algo do zero para alguma coisa realmente grande.

A GoPro especificamente faz muito bem o papel de incentivadora da criação de conteúdo pelo usuário, ao realizar concursos periódicos em que premia os melhores vídeos ou fotos, que exploram diferentes possibilidades de uso de suas câmeras. Falo mais sobre a importância de conteúdo gerado pelo cliente no post Marketing em Redes Sociais: 3 Categorias de Conteúdo Indispensáveis

No site da empresa pode se ler a frase: “Nossas paixões nos levam a criar experiências e realidades que expandem o nosso mundo e inspiram aqueles a nossa volta”. Pode parecer que esta é uma ideia aplicável somente a um produto ligado a esportes de aventura, mas se pararmos bem para pensar, é aplicável a quase todo tipo de negócio, basta ter verdadeiramente a paixão necessária para tal.

Para encerrar o post, deixo um vídeo com uma compilação fantástica de vídeos criados com uma câmera da GoPro.